Ministro de Bolsonaro sonha com o trem-bala de Dilma


Ministro de Bolsonaro sonha com o trem-bala de Dilma


Em meio a todas as obras que pretende tocar até o fim do governo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, não esconde o sonho de retomar o projeto frustrado da ex-presidente Dilma Rousseff de implantar o trem-bala no país.

Sempre que questionado sobre os principais projetos de sua área que quer ver concluídos até 2022, o ministro cita a rodovia 163 — surgida nos anos de 1970, mas nunca finalizada — e a Ferrogrão. Mas não se esquece de enfatizar o sonho pelo trem-bala.

Dilma lançou o projeto do trem-bala em 2009, ainda como ministra da Casa Civil, como uma das principais obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A promessa era entregar o empreendimento em 2014, para a Copa do Mundo realizada no Brasil.

O projeto original ligaria Campinas ao Rio de Janeiro, passando por São Paulo. O trem-bala foi avaliado, à época, em US$ 15 bilhões (hoje, cerca de R$ 60 bilhões). Mas nunca saiu do papel. Deixou, porém, uma herança pesada para os cofres públicas, a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), que custa mais de R$ 70 milhões por ano aos cofres públicos.

Fixação

A EPL ficou encarregada de desenvolver e tocar o projeto de trem-bala. Gastou milhões com estudos de viabilidade econômica, sem que nada avançasse. Como a estatal não foi extinta — essa era a promessa do presidente Jair Bolsonaro quando assumiu o governo —, talvez Tarcísio Freitas possa usá-la para realizar o sonho.

O que não se sabe é se o ministro da Infraestrutura seguirá o modelo definido no governo de Dilma Rousseff. Ou se o governo gastará mais dinheiro, mesmo com a escassez de recursos no caixa do Tesouro Nacional, para fazer novos estudos.

Tarcísio Freitas, apontado como o ministro que mais entrega no governo Bolsonaro, certamente terá que gastar muita lábia para convencer o chefe a encampar um projeto que foi elaborado em um governo petista.

Outro lado

Em nota enviada ao Blog, o Ministério da Infraestrutura diz que “não há no seu escopo de projetos estruturados, ou em estudos para ser estruturados, nenhuma linha de desenvolvimento de um trem de passageiros de alta velocidade entre São Paulo e Rio de Janeiro”.

Ressalta ainda que “a EPL tem como foco o programa de concessões de ativos de infraestrutura do Governo Federal, que abarca rodovias, arrendamentos portuários, companhias docas, ferrovias de carga e aeroportos”.

E mais: “o ministro Tarcísio Gomes de Freitas ressalta que a única menção feita à ideia de um ‘trem-bala’ foi durante sua participação no programa Conversa Com Bial, quando questionado pelo entrevistador. O ministro afirmou que a única viabilidade de um projeto como esse se daria pelo interesse único e exclusivo da iniciativa privada dentro do modelo de autorização previsto no PLS 261/18″.
Share on Google Plus

About Primeiro-Ministro

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.